Erros a Serem Evitados

          Vários grupos estão vivendo fora das paredes do cristianismo organizado nos últimos anos. A maior parte desses grupos de cristãos que andam sob a bandeira de “a igreja na casa” ou “a igreja do Novo Testamento” pode se dispor em diferentes categorias. Mas existem versões de igrejas nas casas que estão cometendo graves erros na sua caminhada. Dispomos aqui alguns tipos de grupos que estão errando o Alvo. Os erros podem acontecer das seguintes maneiras:

Estudo bíblico glorificado. Este tipo de igreja na casa está tipicamente dirigida por um ex–clérigo ou aspirante a mestre da Bíblia, o qual é considerado como o “instrutor com autoridade”. O instrutor geralmente é o facilitador de uma mesa redonda onde se discute as Escrituras. As reuniões estão dominadas por exposições da

Bíblia que, em algumas vezes, chegam a descer ao nível de debates sem sentido. Na glorificada casa de estudos bíblicos, aqueles membros que não têm uma inclinação teológica têm uma participação bastante escassa. E querendo ou não reconhecer, a pessoa que facilita esses estudos está a cargo da igreja.

O grupo de interesses especiais. Estes têm como centro o reunir-se debaixo de um tema comum, como pode ser a escola na casa, parto natural na casa, guardar festas judaicas, pontos de vista escatológicos, estilo de culto eclesiástico, cultivos e alimentos naturais, profetas pessoais, “riso santo”, justiça social, ou qualquer outro tipo de tema que esteja na moda – até pode ser o tema igreja nas casas!

Culto pessoal. Os membros deste grupo centralizam seu universo ao redor de um homem com alguns dons. Pode ser um apóstolo morto cujos escritos atuam de forma com o meio exclusivo de identidade, crenças e práticas do grupo. Muitas vezes, o centro de atenção é um cristão com certos dons que funda uma igreja e se situa dentro dela como seu residente perpétuo. De fato, esse personagem de grandes qualidades, a princípio, tem ou teve um desejo genuíno de ver o Corpo construir-se e crescer por si só. Contudo, sua própria presença obstrui esta dinâmica espiritual. Ele é tipicamente cego ao fato de que, sem dar conta, criou uma dependência patológica do grupo para consigo. Portanto, ele é descendente do pastor moderno (ao menos nas funções, mas não de nome).

O clube das bênçãos. De forma resumida, esta é uma comunidade narcisista – um gueto espiritual, onde as reuniões são fechadas e altamente carismáticas. Servem como postos de gasolina espirituais para os cristãos esgotados que necessitam de uma “carga” espiritual. Pelo fato de estas igrejas se encontrarem dominadas por indivíduos oportunistas, os membros geralmente desaparecem cada vez que o grupo enfrenta uma controvérsia. Quando o conflito desaparece, aqueles que eram os mais zelosos sobre a “igreja na casa” terminam voltando ao polido e elegante sistema religioso dirigido por um programa.

O grupo socialmente indefinido. Este grupo está formado por quatro ou seis pessoas que ocasionalmente se reúnem no living de uma casa para conversar ao redor de uma xícara de chá e biscoitos. Geralmente, essas igrejas nunca chegam a obter uma “massa crítica” ou número mínimo de pessoas devido a uma falta de visão e propósito. Gostam de falar de forma edificante sobre a presença de Jesus sempre que “dois ou três se reúnem”. Mas geralmente morrem antes de começar a entender por que existem. E se não morrem, suas reuniões se convertem em algo estéril à medida que o tempo passa.

A sociedade de mal-humorados e insatisfeitos. Geralmente constituída por ex-dirigentes de igrejas e cristãos reciclados. Estes grupos se reúnem alegremente em assembléia para lamber suas feridas e lançar por terra a “espiritualmente abusiva” da igreja institucional. Suas reuniões exalam pessimismo, são cínicas e refletem uma velada amargura. Tragicamente, depois que os membros se cansam de atacar a igreja organizada, começam a se atacar mutuamente. Desta maneira, se encontram possuídos pelo mesmo espírito que se propuseram a combater. Esta forma de igreja na casa atrai a cristãos que estão profundamente feridos e jamais aprenderam a confiar em alguém.

A igreja da liturgia ainda não escrita. Mesmo que estas igrejas se mantenham fora da corrente do cristianismo institucional, algumas vezes não se reúnem em casa, mas em lugares alugados. A debilidade mais patente de suas reuniões se encontra em uma liturgia sem regras que, repetida regularmente a cada semana, passa desapercebida pelos seus membros. Contudo, se a ordem da adoração é alterada por qualquer motivo, os dirigentes da igreja, diante de todos, chamarão os violadores à ordem, censurando-os pela irreverência deles.

Conquanto que todos os grupos anteriormente mencionados navegam felizmente sob o estandarte da “igreja nas casas”, todos estão deficientes em relação à idéia do Novo Testamento conhecida por ekklesia. A ekklesia, sob as normas do Novo Testamento, é um grupo de cristãos que se reúnem em, para e pelo Senhor Jesus Cristo, exclusivamente. É uma assembléia de crentes que estão fortemente comprometidos com a Sua plena expressão dentro de sua comunidade. Jesus Cristo é o sangue que dá vida à ekklesia.

Ele é o centro, a circunferência, o conteúdo, o foco e o ponto de reunião da comunidade. Os santos que se reúnem como ekklesia em um local em particular, estão consumidos com Cristo e nada mais. A sua meta é fazer a ele visível em sua comunidade – sua marca é o crescente conhecimento no Senhor – e seu testemunho é um indiscutível amor de uns para com os outros.

As igrejas nas casas que não estão caracterizadas por estas qualidades espirituais, não apenas perdem o passo, mas que estão dançando uma música equivocada.

A genuína ekklesia não está centrada em temas, pessoas ou doutrinas. Está centrada em Cristo. A ekklesia existe por uma razão e para um propósito exclusivamente – a indiscutível supremacia e centralidade de seu Senhor. De fato, desde o ponto de vista de Deus, a igreja é uma Pessoa, e não uma estrutura. É Jesus Cristo em sua expressão corporativa humana.

·         Atos 2:47 – Louvando a Deus e contando com a simpatia de todo o povo. Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.

·         At 5:14 – E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor.

·         At 9:4 – E, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?
·         1 Coríntios 12:12 – Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, constituem um só corpo, assim também com respeito a Cristo.

O perigo de uma vida curta

Podemos dizer que muitas das “igrejas nas casas” de nosso tempo se desintegram em um curto espaço de tempo. Na verdade, poucos dos cristãos que decidem se lançar fora da igreja institucionalizada, podem chegar a conseguir. De acordo com minhas próprias observações, ao longo dos últimos dez anos, a típica igreja na casa tem uma vida compreendida entre os seis meses e os quatro anos.

Neste período de tempo, a igreja geralmente se dissolve devido a uma divisão irreconciliável ou a uma crise sem solução. (As crises estão geralmente enraizadas a uma dramática luta pelo poder, uma manipulação por impor um ponto de vista teológico ou uma falta de aceitação sobre certas personalidades). Se o grupo consegue manter-se unido e atravessar esses conflitos, provavelmente se transformará em um grupo de menor tamanho, uma versão de “o pequeno é belo”, mas seguindo o modelo da igreja institucional. Isto é, alguém dentro do grupo se desenvolverá como algo equivalente ao pastor que dirige os santos.

Mesmo que esta pessoa não seja reconhecida como pastor, nem se mova de forma autoritária, sua função será como a de um clérigo profissional. E os santos crescerão e chegarão a depender dele. Outra possibilidade de ocorrência é que um grupo de homens, autodenominados “anciãos”, surja e governe a igreja de forma oligarca – passando por cima de todas as sensibilidades dos irmãos. (Com respeito a isso, grande quantidade das igrejas nas casas de nossos dias não foram capazes de se separar do velho fermento do autoritarismo).

Existam igrejas nas casas que conseguiram superar a marca dos quatro anos sem erigir uma estrutura ou figura ditatorial. Mas são muito escassas. Mais difícil é encontrar igrejas nas casas que duraram mais de dez anos. Dentre as espécies próximas de extinção estão as igrejas nas casas com vinte anos de duração.

Aquelas que ultrapassam os vinte anos são lamentavelmente escassas. Em poucas palavras, quando Jesus Cristo não é o centro da igreja na casa, o único combustível que a pode motivar é um tema interessante, uma personalidade carismática ou uma engenhosa doutrina. Mas todos esses combustíveis não conseguem levar muito longe a igreja na casa. E quando a gasolina acaba, o grupo entra em colapso. Uma irmandade de crentes somente pode ser mantida junta em forma operante, quando existe um encontro contínuo com o Senhor Jesus Cristo, sendo este o elemento dominante da reunião como resultado, se Cristo não é a argamassa da igreja não institucional, suas reuniões se convertem em algo vazio, sem cor e, eventualmente insustentável.

Descobrindo um grande erro

 Em certa ocasião, o salmista murmurou:

 Salmo 11:3 – Ora, destruídos os fundamentos, que poderá fazer o justo?

 Eu creio que a maior parte das igrejas nas casas que desapareceram foi porque não estavam fundamentadas sobre a revelação de Jesus Cristo. Em seu lugar, o fundamento era algo de menor valor. Existe uma grande variedade de razões do por que os cristãos se reúnem – incluindo nobres razões que têm algo a ver com Cristo.

Mas também existe uma enorme diferença entre reunir-se ao redor de “algo” a cerca do Senhor e reunir-se ao redor do Senhor em pessoa. Existe um grande oceano que marca a diferença entre reunir-se ao redor de algo abstrato ou reunir-se ao redor de Alguém em concreto.

Se fores ler o Novo Testamento com a intenção de descobrir como as primeiras ekklesias foram fundadas, encontrarás que estavam solidamente edificadas sobre a inabalável rocha da revelação de Jesus Cristo.

·         Mateus 16:16-18 – Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.

Todas as ekklesias plantadas por Paulo, foram construídas por esta revelação.

·         1Coríntios 3:11 – Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo.

Todas estiveram fundamentadas sobre o alicerce, revelando o que ele chamou de “o mistério”.

·         Colossenses 4:3 – Suplicai, ao mesmo tempo, também por nós, para que Deus nos abra porta à palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual também estou algemado.

·         Efésios 1:17-22 – Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir, não só no presente século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo dos pés, e para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja.

·         Efésios 6:19 – E também por mim; para que me seja dada, no abrir da minha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho. Paulo proclamava a Jesus Cristo e revelava o eterno propósito de Deus a cerca dele a todo aquele que queria escutar.

E desta fenomenal revelação do eterno mistério de Cristo, espontaneamente apareciam as ekklesias (notemos que a declaração apostólica de Jesus Cristo tem propriedades de associação comunitária). Porque a ekklesia está fundamentada sobre Jesus Cristo, pode sobreviver às mais intensas pressões e provas.

·         1Coríntios 3:6-15 – Eu plantei, Apolo regou; mas o crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento. Ora, o que planta e o que rega são um; e cada um receberá o seu galardão, segundo o seu próprio trabalho Porque de Deus somos cooperadores; lavoura de Deus, edifício de Deus sois vós Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica. Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará. Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão; se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo.

Os ventos podem soprar com violência e as águas cair torrencialmente, mas a casa se manterá porque está fundamentada em uma Rocha.

·         Mateus 7:24-27 – Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.

·         Lucas 6:46-48 – Por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando? Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante. É semelhante a um homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala e lançou o alicerce sobre a rocha; e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não a pôde abalar, por ter sido bem construída.

Jesus Cristo é a única fundação inabalável sobre a qual o povo de Deus pode acertadamente se reunir. Tragicamente, poucos cristãos de nossos dias têm alguma idéia de qual é o mistério de Cristo, nem de que maneira tudo isso estava contido na teologia de Paulo. (Suas cartas estão literalmente gotejando sobre esta frase – 1Coríntios 2:6-3:2; Romanos 16:25-26; Colossenses 1:24-27; 2:1-3; 4:2-3; Efésios 1:9-10; 2:14-16; 3:1-11; 5:29-32; 6:19). Apesar de tudo, o mistério do divino propósito é o pensamento central de Deus sobre toda a Escritura.

Consequentemente, esses cristãos que buscam servir a Deus sem os fortes suportes da hierarquia humana, devem construir sua vida comunitária sobre o mistério de Deus em Cristo. Se não fizerem desta forma, as oportunidades de sobreviverem serão quase nenhuma.

Comments (1)

Leave a comment

Encontros

 Encontros, conferências e Reuniões*

Mande informações e convites dos encontros na sua cidade que publicaremos no site. Nosso e-mail é igreja@igrejanoslares.com.br

Links

 Novos sites e Blogs

 
Pão e Vinho: “é um trabalho cristão, independente e  investigativo, cujo objetivo é vasculhar nossas raízes e entender melhor o desenho original da Igreja arquitetada por nosso Senhor Jesus Cristo. Aprender nosso passado nos ajuda a entender nosso estado presente e, assim, discernir nosso futuro como Igreja”. O editor mora em Wasginton/DC.
Blog Igreja Orgânica: blog sobre temas diversos a respeito da vida da igreja. O editor é de Fortaleza/CE
Igreja em Santo Antônio do Monte/MG: blog sobre questões atuais do viver cristãos. É mantido por irmãos de Minas Gerais, da cidade de Santa Antônio do Monte.
Irmãos em Cristo em Itajaí/SC: somos um grupo de pessoas que amando a Deus e uns aos outros decidiu se reunir semanalmente na cidade de Itajaí-SC. Nossos encontros acontecem nas casas ou em outros ambientes informais. Primamos pela alegria e informalidade, aspectos próprios do viver comunitário e daquela expressão viva da igreja do primeiro século. Contato: igrejaorganica@gmail.com Telefone: (47) 9609-0366
Um Novo Odre: Realizamos reuniões nos lares como auxílio à prática da vida cristã, o mesmo costume observado nos cristãos primitivos antes dos templos instituídos pelo Imperador Constantino. Absorvidos pelo cristianismo, os templos de Constantino perpetuaram a ideia de templo como lugar obrigatório para a realização de reuniões cristãs. Porém, nossa proposta busca restaurar a dignidade da família – “célula-mãe” da sociedade – priorizando o trabalho de formação espiritual de “homens novos para um mundo novo” encontrado em Deus. E-mail de contato: simple.church.brazil@gmail.com

Rádio Adoradores Livres: rádio livre para irmãos livres

Livros

  Vivenciando uma Igreja Orgânica

  Foi recentemente lançado o livro VIVENCIADO UMA IGREJA ORGÂNICA, de Frank Viola, pela Editora Palavra. O livro não está listado em sites, sendo que a única forma de aquisição à distância é através do telefone da Editora (61 3213-6999, 61 3213-6858, e-mail: varejo@mwdistribuidora.com, site: https://palavravirtual.com/detalhes.php?id=178). Nesse livro, considerando que a igreja é um organismo vivo e não uma organização, Viola, com base em exemplos vividos na caminhada cristã, analisa desde a plantação da igreja, em relação à pessoa do obreiro, passando por uma seção de Perguntas & Respostas, passos práticos para começar a viver a vida da igreja, chegando até às questões do desenvolvimento de uma igreja, os estágios de crescimento, as “doenças” que podem ocorrer, até à conclusão A JORNADA À FRENTE.  Um excelente livro para quem quer viver ou já está vivendo a vida da igreja. Leia trechos de livros em: http://igrejanoslares.com.br/category/noticias/category/livros/ Veja lista de indicação de livros em: http://igrejanoslares.com.br/category/noticias/auxilio/livros/ Indique um livro para ser publicado neste espaço. Mande um e-mail para: igreja@igrejanoslares.com.br

Perguntas & Respostas

 Apesar de as igrejas nos lares serem livres institucionalmente falando, gostaria de saber se existe alguma associação, convenção, enfim, algo que reúna as idéias das igrejas nos lares visando troca de experiências? Agradeço, MÁRCIO (Clique aqui)